A AIL tem o prazer de anunciar que o 13.º Congresso Internacional da Associação Internacional de Lusitanistas que decorrerá em Roma de 20 a 24 de Julho contará com os seguintes convidados de honra:

  • Boaventura de Sousa Santos (Universidade de Coimbra/ University of Wisconsin-Madison)
  • Lilia Schwarcz (Universidade de S. Paulo, USP)
  • José Luís Pires Laranjeira (Universidade de Coimbra)
  • Maria Betânia Amoroso (Universidade Estadual de Campinas)

 Boaventura de Sousa Santos é Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Distinguished Legal Scholar da Faculdade de Direito da Universidade de Wisconsin-Madison e Global Legal Scholar da Universidade de Warwick. É igualmente Director Emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça.
Tem trabalhos publicados sobre globalização, sociologia do direito, epistemologia, democracia e direitos humanos. Os seus trabalhos encontram-se traduzidos em espanhol, inglês, italiano, francês, alemão, chinês e romeno.

Lilia Moritz Schwarcz é professora titular no Departamento de Antropologia da USP. Foi Visiting Professor em Oxford, Leiden, Brown, Columbia e Princeton, onde foi Global e Professora Visitante desde 2010. Em 2007 obteve a John Simon Guggenheim Foundation Fellow. E em 2010 recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Científico Nacional. É autora, entre outros, de Retrato em branco e negro (1987. prêmio APCA), O espetáculo das raças (Companhia das Letras, 1993 e Farrar Strauss & Giroux, 1999), Racismo no Brasil (Publifolha 2001), As barbas do Imperador (1998, Prêmio Jabuti/ Livro do Ano e New York, Farrar Strauss & Giroux, 2004), A longa viagem da biblioteca dos reis (2002), O sol do Brasil (2008, Prêmio Jabuti categoria biografia 2009), Brasil: uma biografia (com Heloisa Murgel Starling; Companhia das Letras, 2015, indicado dentre os dez melhores livros prêmio Jabuti Ciências Sociais) e Lima Barreto triste visionário (São Paulo, Companhia das Letras, 2017). Coordenou, entre outros, o volume 4 da História da Vida Privada no Brasil (1998, Prêmio Jabuti categoria Ciências Humanas 1999) e a História do Brasil Nação. Mapfre/ Objetiva em 6 volumes (Prêmio APCA, 2011). Publicou com Lucia Stumpf e Carlos Lima A batalha do Avaí (Sextante, 2013, Prêmio ABL), com Adriana Varejão Pérola imperfeita: a história e as histórias na obra de Adriana Varejão (Companhia das Letras, Cobogó, 2014) e com Adriano Pedrosa o catálogo da exposição Histórias Mestiças (Cobogó e Instituto Tomie Ohtake, Jabuti melhor livro de arte 2016). Com André Botelho organizou duas coletâneas: Um enigma chamado Brasil em 2012 (Prêmio Jabuti 2010) e Agenda brasileira, em 2013. Foi curadora de uma série de exposições —A longa viagem da biblioteca dos reis (Biblioteca Nacional, 2002), Nicolas-Antoine Taunay e seus trópicos tristes (Museu de Belas Artes Rio de Janeiro, Pinacoteca do Estado de São Paulo, 2008), Histórias mestiças (2015), Traições: Nelson Leirner leitor de si e leitor dos outros (Galeria Vermelho, São Paulo, 2015), Histórias da infância (Masp, 2016), Histórias da sexualidade (Masp, 2017). Desde 2015 atua como curadora adjunta para histórias e narrativas no Masp e é colunista do jornal Nexo.

José Luís Pires Laranjeira é professor da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (FLUC). Responsável pelas cadeiras de Literaturas Africanas, desde o ano letivo de 1980-81, e de Culturas Africanas. Leciona também literatura brasileira, cultura brasileira e estudos culturais (Universidade de Salamanca). Docente de cursos de mestrado e doutoramento em Interculturalidade (Universidade Aberta) e também Literaturas de Língua Portuguesa – Investigação e Ensino (FLUC). Tem exercido a crítica literária, com regularidade, desde 1972. Foi crítico do Jornal de Letras (Lisboa). Colaboração variada, desde 1965, em mais de uma centena de títulos de jornais e revistas locais, regionais, nacionais e internacionais de 20 países. Conferências e cursos em quatro continentes, com especial incidência em vários Estados do Brasil e orientação de dezenas de trabalhos e teses de estudantes do Brasil, Portugal, Angola, França, Itália, China, etc. Co-organizou algumas obras e coordenou coleções de livros e números de revistas. Diversificada atividade cultural (jornais, rádio, vídeo, desenho, poesia). Mais de uma dezena de livros publicados, entre os quais Antologia da poesia pré-angolana (1976), Literaturas Africanas de expressão portuguesa (1995), A negritude africana de língua portuguesa (1995) e Ensaios afro-literários (2001).

Maria Betânia Amoroso é Professora Colabora no Departamento de Teoria Literária da Universidade Estadual de Campinas (Campinas — São Paulo), Livre Docente na área de Literatura Comparada. Desenvolve estudos em área de pesquisa onde confluem a Crítica e a Teoria Literária, com especial interesse pela descrição e análise da recepção e circulação de autores e obras. Grande parte de sua pesquisa tem como referência a produção crítica, literária e cultural italiana moderna e contemporânea. Entre os autores estudados, é central o conjunto da produção de Pier Paolo Pasolini (poesia, prosa, cinema, crítica e ensaísmo)ao lado do conjunto da obra do escritor brasileiro Murilo Mendes.

Chamada para publicação
Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas

Número 32 (jul./dez. 2019)
 
A Veredas está recebendo artigos e resenhas para a edição de julho-dezembro de 2019.
Este número trará um dossiê sobre o tema: Direitos humanos, leitura e literatura

A literatura proporciona aos indivíduos diversas maneiras de interpretar a existência e, por isso, percorre diferentes caminhos na constituição dos sujeitos-leitores. Ela pode se configurar como um instrumento para sensibilizar e mobilizar as pessoas, para que elas se reconheçam como sujeitos de direito e sejam capazes de criar estratégias que garantam tais direitos. Tendo em vista que a sociedade contemporânea exige cada vez mais leitores proficientes e preparados para uma diversidade de desafios propostos pelas tecnologias, pelo cenário político, pelo contexto histórico, social e cultural, a revista Veredas receberá contribuições que tratem da importância da literatura e da leitura dentro de contextos nos quais o leitor possa construir outro entendimento de sua formação pessoal e profissional, garantindo assim a defesa dos direitos humanos conquistados ou ainda incipientes em nossa sociedade. Direitos humanos, leitura e literatura é o tema do dossiê para o qual se espera colaborações em torno dessa tríade como inflexão capaz de apontar saídas para nossos problemas atuais.

Dossiê proposto por Elizabeth Gonzaga Lima, Luciana Moreno e Edma de Góis (Universidade do Estado da Bahia).

O prazo final para o envio de artigos para este dossiê é 30 de novembro de 2019.

As colaborações que não se encaixem nesse dossiê, desde que alinhadas ao foco e escopo da revista, são recebidas em fluxo contínuo. 

Veredas aceita artigos inéditos, oriundos de pesquisas originais relacionadas, especialmente, à literatura, mas contempla ainda o diálogo com outras expressões culturais, como o cinema, a música, o teatro, as artes plásticas de países de língua portuguesa. A revista é aberta às mais diferentes abordagens teórico-metodológicas.

Também são recebidas resenhas críticas de livros de teoria, de crítica ou de literatura publicados nos últimos três anos, desde que relacionados ao escopo da revista.

Para conhecer as normas da revista e submeter seu texto, acesse: https://revistaveredas.org/index.php/ver/about/submissions

Para informações adicionais, escreva para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

A Universidad Complutense de Madrid e a Asociación de Profesores de Lengua Portuguesa en España (APLEPES) estão organizando o II Fórum Internacional da Língua Portuguesa «500 Anos da Circum-navegação do Mundo: Novas contribuições em investigação e ensino», que será realizado nos dias 13, 14 e 15 de novembro de 2019.

A data para receção de propostas de comunicação se amplia até o dia 22 de setembro.

A AIL foi acrescentada entre as associações parceiras e afins, privilegiando, assim, um desconto especial aos seus membros.

Mais informações https://2foruminternacional.wixsite.com/linguaportuguesa

Já está disponível, em acesso aberto, no portal da Veredas — Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, uma nova edição:

Veredas n. 29

DOI: https://doi.org/10.24261/2183-816x29