Noite Plataforma9

6 de setembro | 18h30 | Fundação Calouste Gulbenkian

A Noite Plataforma9 celebra os cinco anos do lançamento de um projeto pioneiro nascido da junção de esforços entre a Fundação Calouste Gulbenkian e a Associação Internacional de Lusitanistas, a rede digital Plataforma9, portal cultural de intercâmbio informativo entre as culturas de Língua Portuguesa. O evento propõe um programa tripartido, que inclui uma viagem musical, a apresentação de um vídeo sobre a Plataforma9 e uma viagem gastronómica pelo mundo lusófono.

No mundo globalizado da atualidade, em que se acentua a necessidade de uma partilha mais eficaz do conhecimento e de construção de pontes numa família linguística pluricontinental e multicultural como é a Língua Portuguesa, considerou-se ser prioritária a criação de um instrumento independente, que possibilitasse a articulação em rede entre instituições e programas nacionais e internacionais dedicados à Língua Portuguesa e à diversidade das culturas em português. Este objetivo estratégico, contemplado nos programas de ação da Associação Internacional de Lusitanistas e do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas, consubstanciou-se na criação, em 2013, da rede digital Plataforma9, que foi apresentada publicamente no Mindelo, Cabo Verde, em julho de 2014. O portal é hoje utilizado em cinco continentes e o número de utilizadores tem aumentado exponencialmente, ultrapassando os três milhões de visualizações.

A Plataforma9 divulga diariamente factos e eventos relevantes sobre formação e investigação, bolsas e emprego, congressos e publicações, notícias e tudo o que acontece no mundo lusófono relacionado com estudos avançados e projetos culturais. Com uma denominação que remete para os nove países e regiões que utilizam a Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Galiza, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste), a rede digital tem uma projeção global e contribui para o diálogo e o reforço dos laços entre as comunidades lusófonas disseminadas pelo mundo.

 

Já está disponível, em acesso aberto, no portal da Veredas — Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, uma nova edição.

Veredas n. 26: http://revistaveredas.org/index.php/ver/issue/view/28

Neste número:

 

Artigos

A batalha antológica: resgate, inclusão e (re)fundação da tradição literária nas contra-antologias femininas de fins do século XX
Paula Candido Zambelli

A mátria de Natália Correia: uma utopia libertária
Josyane Malta Nascimento

A morte em gerúndio: ciclicidade transcendente em Teolinda Gersão e Pepetela
Patrícia Infante da Câmara

A máquina do mundo de Paulo José Miranda: a vertigem tanatológica de seus mecanismos
Paulo César Thomaz

O fluxo da consciência em Elói, de João Gaspar Simões
Valda Suely da Silva Verri

Um romance sobre o tempo: Que cavalos são aqueles que fazem sombra no mar?, de António Lobo Antunes
Camila Stefanello, Raquel Trentin Oliveira

A tensão dialética entre o eu e o outro em Eu hei-de amar uma pedra, de António Lobo Antunes
Tatiana Prevedello

Trauma, memória e latência em Diário da queda, de Michel Laub
Rejane Cristina Rocha

A intimidade das pessoas idosas no documentário Olhos de Ressaca, de Petra Costa
Sophia Beal

Me segura qu’eu vou dar um troço, de Waly Salomão: a abertura da linguagem
Adriana Kogan

Resenhas

Margarida Calafate Ribeiro e Silvio Renato Jorge (Org.) — Literaturas insulares: leituras e escritas de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe
Maria da Graça Gomes de Pina

Martha Batalha — A vida invisível de Eurídice Gusmão
Paula Queiroz Dutra

Henrique Freitas — O arco e a arkhé: ensaios sobre literatura e cultura
Igor Ximenes Graciano

 

Este novo número da revista Veredas (23) recolhe os resultados científicos do Colóquio O Renascimento Português –Desafios e Novas Linhas de Investigação, celebrado no St. Peter’s College da Universidade de Oxford em junho de 2013. Organizado pela Associação Internacional de Lusitanistas, a Universidade de Oxford, e o King's College-London, sob coordenação do professor Thomas Earle e da professora Catarina Fouto, o encontro se propôs analisar recentes abordagens metodológicas, e identificar novas áreas de investigação, partindo de uma perspectiva comparativa e multidisciplinar, com o foco colocado no período renascentista, no sentido lato do termo.

Este é o primeiro número da Veredas a ser publicado em acesso aberto – na plataforma de edição eletrónica da AIL – e sob o novo ISSN 2183-816X.

http://ojs.lusitanistasail.org/index.php/Veredas/issue/view/4/showToc